domingo, 20 de junho de 2010

Rochele Kalini


Rosanne Bezerra de Araujo
Rosiane Mariano
Valeska Limeira Azevedo Gomes

Afonso Henrique Fávero
Aldinida Medeiros Souza
Andreia Maria Braz da Silva
Andrey Pereira de Oliveira
Antônio Fernandes de Medeiros Jr
Arandi Robson Martins Câmara
Bethânia Lima Silva
Carmela Carolina Alves de Carvalho
Cássia de Fátima Matos
Daniel de Hollanda Cavalcanti Piñeiro
Edlena da Silva Pinheiro
Eldio Pinto da Silva
Elizabete Maria Álvares dos Santos
Jackeline Rebouças Oliveira
Joana Leopoldina de Melo Oliveira
Kalina Naro Guimarães
Lígia Mychelle de Melo
Mácio Alves de Medeiros
Marcela Ribeiro
Marcel Lúcio Matias Ribeiro
Marcos Falchero Falleiros
Maria Aparecida da Costa Gonçalves Ferreira
Maria do Perpétuo Socorro Guterres de Souza
Peterson Martins


Rochele Kalini [19-6-2010]


Edição: Martins, 1971:
da p. 173 : [em meio a: 4. A laicização da inteligência]
" Poder-se-ia pensar em alusão contra Pombal, injuriado pelos escritores depois de 1777"[...]
até a p. 174 [até o final do capítulo, com os versos:]
[...] "Ah, vem formosa, cândida verdade,
nos versos meus a tua luz derrama! "



Na busca da laicização da inteligência, Silva Alvarenga e seus companheiros, tentaram transformar a sociedade em que viviam. Em seus poemas, incitaram a passagem da filosofia da tradição retórica e da tirania clerical aos valores modernos e dinâmicos. A promoção das idéias ilustradas feita por esses, pretendia trazer a liberdade e progresso intelectual ao país.

2 comentários:

Kalina disse...

As agremiações que definem um ciclo ilustrado, surgidas no Brasil a partir de 1771, transmitem a crença na relação estabelecida entre ciência e desenvolvimento social. A confiança no conhecimento é acompanhada de uma atitude anticlerical e da preocupação de dividir a verdade com todos os homens. Nesse sentido, tal perspectiva leva ao desconforto frente ao sistema colonial, desembocando em certa hostilidade a Portugal, tendo em vista as dificuldades impostas pela metrópole no que se refere ao desenvolvimento intelectual e científico da população nativa. Se não é verdade que o pensamento gestado na razão levaria necessariamente ao progresso político, ao menos é possível afirmar a correlação entre a euforia científica e o desejo de ler mais criticamente o espaço social.

Base de Pesquisa Formação da Literatura Brasileira disse...

Rosanne Bezerra de Araujo
comentou em 1-9-2010:

As preocupações políticas caminhavam juntas com as matérias científicas, filosóficas e literárias, com o intuito de despertar uma força humanizadora na sociedade. Nessa época, o movimento dos intelectuais foi decisivo para impulsionar uma transformação no país.